A entrada em vigor no país do sistema electrónico de selagem e rastreio de carga com recurso às tecnologias, implementado pela Autoridade Tributária, através da empresa Mozambique Electronic Cargo Tracking Services (MECTS), mostra-se preponderante para o cumprimento das obrigações fiscais e no sistema de alerta de acidentes que envolvem carga contentorizada, transportada por via rodoviária e ferroviária.

 

A mais-valia dos serviços agregados do sistema em alusão foi constatada ontem, em Gondola, na província central de Manica, num acidente de viação envolvendo um camião cisterna que transportava mercadoria contentorizada em trânsito da Cidade da Beira para Zâmbia.

 

O sinistro envolvendo os dois camiões, foi reportado em tempo real pelos dispositivos de alerta do Sistema de Selagem Electrónico levados a cabo pela MECTS, permitindo deslocação de uma equipa conjunta da AT e MECTS para preservação da carga e socorro as vítimas.

 

No local do acidente, o Coordenador Regional da empresa responsável pela implementação e operacionalização de sistemas de selagem electrónicos, Michael Chissico, em contacto com a imprensa, assegurou que a selagem de mercadorias em trânsito para além da sua importância no combate ao contrabando, também funciona como um mecanismo de monitoria e controle do sistema de transporte, com vista a evitar acidentes.

 

“A selagem de mercadorias em trânsito é importante não só para evitar o descaminho e contrabando de mercadorias, assim como, para mitigar acidentes rodoviários, pois, com a selagem electrónica o Centro de Monitoramento Centralizado rastreia e monitora em tempo real a velocidade, paragens proibidas e outros dados que possa evitar o derramamento de sangue nas nossas estradas”, disse a fonte no terreno.

 

Refira-se que, desde a introdução da fase operativa do sistema de selagem electrónica no país, já foram reportados vários actos de tentativa de furto, desvio, acidentes ou contrabando de mercadorias, o que permitiu actuação por parte das Equipas de Resposta Rápida (ERR), compostas por operativos das Alfândegas de Moçambique.

 

A intervenção desta unidade das Alfândegas é accionada em resposta a alerta do rastreio e monitoramento em tempo real feito a partir de uma central de comando que funciona 24 horas por dia, designado Centro de Monitoramento Centralizado.

 

(AIM)

Paulino Checo