A administração da segunda dose de vacina contra a Covid-19 no âmbito da II Fase da Campanha Nacional   de   Vacinação,   que   deveria   ter   terminado   no   sábado,   foi prorrogada  para   até   terça- feira. O grupo alvo da segunda fase era de 240 mil cidadãos, tendo faltado 10 por cento dos visados, ou seja 24 mil pessoas.

A decisão foi anunciada sábado pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, pelo facto de existir um número elevado de cidadãos que receberam a primeira dose mas, por vários motivos, não compareceram à segunda. “A vacina para ter o efeito desejado é necessário e aconselhável que os indivíduos tenham a segunda dose”, explicou o estadista moçambicano, citado peala Rádio Moçambique, advertindo que quem não receber a segunda dose não terá a protecção que seria de desejar.

País Reporta Mais  19 Mortes e 1.260 Novos Casos de Covid-19

O País notificou, Domingo (19), mais 19 mortes e 1.260 novos casos da COVID-19. De acordo com os dados divulgados pelo Ministério da Saúde, o país chega aos 99.412 casos de infecção, desde que a pandemia atingiu o país, e 1.118 óbitos.

“Lamentamos a notificação de 19 óbitos, em pacientes infectados pelo novo Coronavírus, nas últimas 24h, 11 do sexo masculino e oito do sexo feminino, todos de nacionalidade moçambicana e cujas idades variam entre 21 e 83 anos. Destes, seis óbitos foram declarados no dia 16 de Julho de 2021, nove no dia 17 de Julho de 2021 e quatro no dia 18 de Julho de 2021”, lê-se no comunicado do Ministerio da Saúde.

A Cidade de Maputo continua a ser a mais destacada em termos de número diário de casos. “Houve registo 709 casos, correspondendo a 56.3% do total dos casos novos hoje reportados, em todo o país, e uma taxa de positividade de 40.7%, seguida pela Província de Maputo com 171 casos, o equivalente a 13.6% do total de casos novos e uma taxa de positividade de 49.9%”.

Os dados da mesma fonte indicam ainda que, de Sabado para Domingo, houve 54 novos internamentos. Até o momento, o país tem um cumulativo de 4.889 pacientes internados, dos quais 481 estão actualmente nos Centros de Internamento da COVID-19 e em outras Unidades Hospitalares (68.8% destes pacientes encontra-se na Cidade de Maputo).

Já quanto a recuperados, nas últimas 24h, 53 pessoas tiveram alta hospitalar, 447 estão totalmente recuperadas o que faz com que 76.716 pessoas, que tiveram o vírus em Moçambique, conseguiram-no vencer.

No último Sábado (17) entraram em vigor as medidas de combate à Covid-19 relacionadas com o decreto actualmente em vigor, no âmbito do estado de Calamidade Pública. Entre as medidas, salienta-se o recolher obrigatório que passou a ser das 21 às 4 horas, enquanto ficam suspensas por um período de 30 dias as aulas presenciais nas instituições de ensino primário, secundário, técnico profissional, formação de professores, formação profissional e ensino superior nas cidades de Maputo, Xai-Xai, Inhambane, Beira, Chimoio, Tete, Dondo e também na área metropolitana do Grande Maputo, incluindo a vila da Manhiça.

Nyusi anunciou igualmente a suspensão do ensino pré-escolar em todo o país e o encerramento de cultos, celebrações religiosas, conferências e reuniões por 30 dias, em todo o território nacional. Os eventos sociais tambem ficam interditos, com excepção de casamentos civis e religiosos, restringindo-se ao máximo de 20 pessoas no acto de assinatura, estando as respectivas celebrações festivas interditas. Na comunicação à nação proferida na noite de Quinta-feira (16), o estadista moçambicano anunciou, entre outras medidas, o novo horário para o sector público.

“É introduzido o horário excepcional para o funcionamento das instituições públicas que é das 8 horas as 14, exceptuando as instituições de ensino e outras, cuja natureza da sua actividade profissional não se adequam, como é o caso dos serviços essenciais, em prossecução do interesse público. É reduzido o horário de funcionamento de todos os botle stores, independentemente da sua localização passam a adoptar o horário das 9 as 13horas, permanecendo encerrados aos domingos, feriados e nos dias de tolerância de ponto. É reduzido o horário de funcionamento dos serviços de restauração, take aways e serviços de entrega ao domicílio, passando a abrir as 6 horas e a encerrar as 8 horas, quando anteriormente encerravam às 20 horas”, disse.

Ainda na sua comunicação á nação, Filipe Nyusi, anunciou que Moçambique vai adquirir mais de onze milhões de doses de vacinas contra a covid-19 que poderão chegar entre o presente mês de Julho e Agosto próximo ao país.

(AIM)

JSA