Reunião do Conselho de Ministros da... - Ministério das Relações Exteriores  / Angola | Facebook
Téte António, Ministro das Relações Exteriores de Angola

O Ministro das Relações Exteriores de Angola, Téte António, anunciou Segunda-feira, em Luanda, o orçamento de 12 milhões de dólares para o destacamento da força em estado de alerta da SADC em apoio à Moçambique, no combate aos terroristas que protagonizam ataques na província nortenha de Cabo Delgado.

Téte António, que participou numa reunião virtual extraordinária do Conselho de Ministros da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), disse no final do encontro que a reunião foi realizada no âmbito do cumprimento de uma decisão da cimeira de Maputo.

Segundo o ministro das Relações Exteriores de Angola, o Conselho de Ministros, composto pelos ministros dos Negócios Estrangeiros, “foi incumbido de trabalhar no orçamento da força que deve ser operacionalizada para apoiar a República irmã de Moçambique”.
        

“Isto é o que foi analisado hoje, o orçamento é de 12 milhões de dólares no seu total, está subdividido em rubricas, fontes de financiamento”, explicou o ministro.

O governante angolano sublinhou que as fontes de financiamento desta força estão compostas por um fundo de contingência e contribuições dos Estados-membros que participam dos efetivos, que também deverão contribuir entre si com sete milhões de dólares.

Presidente Da AR Insta FDS A Intensificarem Combate Contra Terroristas

A Presidente da Assembleia da República de Moçambique, Esperança Bias, insta as Forças de Defesa e Segurança a intensificarem o combate contra os terroristas que estão a levar a cabo ataques em alguns distritos da província de Cabo Delgado.

Esperança Bias quer dinamismo nos trabalhos das comissões parlamentares
Esperança Bias, Presidente da AR

Esperança Bias lançou este apelo no início, esta segunda-feira, de uma visita àquela província. “Queremos saudar e encorajar as Forças de Defesa e Segurança, aos jovens que não poupam esforços para garantir que a província de Cabo Delgado seja uma província de paz, em que se possa circular de um local para o outro. Aqui, nós também queremos encorajar as instituições do Estado, a população,  para continuar de mãos dadas e fazer frente a este desafio”, disse.

Em Cabo Delgado, a  Presidente da Assembleia da República deverá visitar alguns centros de deslocados dos ataques terroristas naquela região do país.

(AIM)

FF/RM/JSA