O Banco UBA, uma instituição financeira que opera no mercado moçambicano luta contra o declínio da cultura de leitura nas escolas primárias e secundarias do continente africano, e em especial no país, com a doação de livros de várias temáticas nas escolas da cidade de Maputo.

 

O projecto é financiado pela UBA Foundation através da iniciativa denominada, Read África, desenhado para ressuscitar a cultura de leitura e impulsionar a educação financeira no seio estudantil, composto maioritariamente por jovens em todo o continente africano.

“Tendo identificado a necessidade de conter a tendência de declínio da cultura de leitura nas escolas Primárias e Pós-primárias em todo o continente, o UBA Moçambique SA (Banco UBA), juntamente à sua fundação UBA Foundation criou o projecto Read Africa (Leia África), projectado para ressuscitar a cultura de leitura e impulsionar a educação financeira entre nossos jovens em todo o continente africano, lê-se no comunicado de imprensa do banco.

De acordo com a nota, este ano o projecto iniciou no dia 16 de Junho do ano em curso, unindo-se às comemorações do dia da criança africana na Escola Primária Completa 16 de Junho e EPC do Alto Maé, um evento que decorreu no formato híbrido, acto seguido pela doação do livro dos renomados escritores moçambicanos, Mia Couto e Luís Cardoso, denominado o “O gato e o escuro”, um conto infante de referência no país.

O Director Geral do UBA, Rotimi Morohunfola, assegurou que com o projecto anual, implementado a nível do continente, espera-se que crie um impacto positivo na sociedade, lançando um repto para que mais parceiros juntem-se a causa como forma de garantir que nos próximos meses a iniciativa possa escalar as províncias de Nampula e Sofala, e futuramente abranger as demais províncias.

Por sua vez, o Director de Marketing do Banco, Dan Gobe, citado pelo comunicado, explicou a importância do gosto pela leitura na comunidade estudantil, lembrando o seu impacto no processo de ensino e aprendizagem.

 “A medida que África torna-se mais digital, temos que garantir a preservação dos melhores princípios para a nossa sociedade. A cultura de literatura e leitura devem tornar-se grandes pilares nesta fase de educação. Por isso criamos este projecto que não só molda as crianças para o futuro mas também ajuda a afastá-las das distracções das redes sociais, entre outras.” Vincou a fonte.

Concebido e implementado em 2011 pela UBA Foundation (Fundação UBA), o projecto alicerça-se na disponibilização de Literatura em língua Portuguesa, Inglesa e Francesa, de preferência por escritores locais, para a partilha com estudantes de escolas primárias, e pós-primárias por toda a África.

(AIM)

Paulino Checo