A Rádio Moçambique (RM), emissora nacional, iniciou hoje, em Maputo, o seu XXVI Conselho Consultivo, tendo como principais pontos de agenda o aprimoramento de estratégia de gestão face a Covid-19, debate sobre os processos de produção de conteúdos, incluindo a melhoria da qualidade de serviços de radiodifusão.

Segundo o porta-voz do evento, Rogério Guambe, também fazem parte do rol das matérias em discussão a avaliação do grau de implementação das decisões do último Conselho Consultivo e o balanço das actividades desenvolvidas no ano passado.

“Pretende-se durante o encontro aferir ou aprimorar as estratégias internas de gestão dos casos da Covid-19, que já começam a se fazer sentir por todos os sectores da empresa […]. Precisamos de aprimorar as nossas estratégias e os nossos instrumentos de medição e melhoria da qualidade de serviços desta estacão emissora”, disse Guambe.

Segundo a fonte, além de discutir e avaliar sobre os aspectos que constituem os pilares de gestão para o presente ano, foi também agendado para debate o aumento e melhoria da potência de todos emissores provinciais, para que possam gerar receitas e dinamizar o funcionamento da Rádio.

“Pretende-se avaliar o grau de cumprimento da transformação dos nossos emissores provinciais em centros propriamente de produção de receitas e que possam ganhar alguma autonomia na sua gestão”, acrescentou.

Com relação a produção de conteúdos, Guambe disse que durante o encontro os responsáveis pelas áreas de produção irão submeter propostas para a melhoria de qualidade dos vários programas difundidos pela rádio, “com base em indicadores muito claros”.

Guambe falou ainda da adopção de medidas para reduzir o risco de infecção pelo novo Coronavírus em todas emissoras, tendo avançado que serão criadas condições para que os colaboradores e produtores de conteúdos tenham autonomia para produzir a partir de casa.

“Além das medidas emanadas pelas unidades sanitárias, a Rádio Moçambique tem desenvolvido iniciativas internas que visam reduzir o máximo possível os níveis de contaminação e, por via disso, afectar o nível de produção e de produtividade”, disse.

O Conselho Consultivo deste ano decorre sobre o lema, “Capitalizar o Teletrabalho é Investir na Saúde e no Futuro da RM”.
(AIM)
Leonel Ngwetsa (LW)/sg