Mocambique/Africa do Sul: Governo moçambicano garante manutenção de postos de trabalho dos mineiros no Pais vizinho

30 Jul 2020 0 comment  

O vice-ministro do Trabalho e Segurança Social, Rolinho Faruk, garante que o Executivo está trabalhar no sentido de garantir a manutenção dos postos de trabalhos dos mineiros moçambicanos que trabalham nas minas da vizinha África do Sul, que haviam regressado ao país devido a pandemia da Covid-19.

“Neste momento, estamos a aprofundar a nossa diplomacia para que haja uma assistência mais aprofundada para os nossos co-cidadãos. Temos que reverter, porque é um momento muito difícil para África do Sul tanto para Moçambique”, disse.

Reconheceu que os números na RSA tendem a aumentar, mas como os trabalhadores estão num ambiente fechado e observam todo protocolo de quarentena, o governo não vê nenhum impedimento para o seu regresso as terras do rand.

Por isso, disse o vice-ministro, queremos encorajar que isso continue. Tudo faremos pelo bem dos nossos irmãos”, assegurou Faruk, minutos depois de entregar cestas básicas a cerca de 24 famílias dos ex-mineiros moçambicanos.

Na ocasião, revelou que os mineiros estão, de forma faseada, a regressar aos seus postos na Africa do Sul como forma de salvaguardar as medidas de prevenção e propagação da Covid-19. E, numa primeira fase já regressaram 600 trabalhadores mineiros.

Garantiu que dos 3,000 mil mineiros que regressaram à Moçambique ainda não há registo de casos de perda de seus postos de trabalho por conta da propagação da Covid-19 no mundo.

“Se estão a regressar significa que os seus postos de trabalho são garantidos. O que havia era um sentido de desespero de alguns trabalhadores mineiros que regressaram à Moçambique”, afirmou.

Em relação as medidas e casos positivos da Covid-19 na classe disse “tivemos cinco mineiros infectados, mas já está ser acautelada a saúde deles. Em relação as farmas na RSA não têm este momento registo de um moçambicano infectado pela Covid-19”.

Desafiou os mineiros que receberam os donativos para que sejam disseminadores de mensagens de prevenção do coronavírus.
“Esta é uma classe muito importante na nossa sociedade porque são as nossas bibliotecas vivas, tudo aquilo que é dito por vocês constituem objecto de obediência, inspiração e tem sentido social bastante forte. Peço para transmitirem a todos os segmentos da sociedade e de maneira responsável as medidas preventivas contra a Covid-19”.

Por seu turno, o presidente da Associação dos Mineiros Moçambicanos (AMIMO), Moisés Mwamusse, destacou a importância de se garantir a assistência médica e medicamentosa dos mineiros.

“Os mineiros têm o direito de assistência médica pós-laboral devendo efectuar testes bienais de Raio-X (exame de radiografia) com o objectivo de aferir a evolução das doenças ocupacionais como tuberculose e posterior indeminização”, sublinhou Mwamusse.
(AIM)
(Célio Magombe) /sg

Temos 336 visitantes e Nenhum membro online

Contacte-nos

Rua da Rádio - 112 - 5º Andar - Caixa Postal 896
+258 21313225/6
+258 21 313196