O Governo moçambicano está a investir na melhoria das vias de acesso, um pouco por todo o país, como forma de facilitar o escoamento de excedentes agrícolas dos centros de produção para os mercados e as indústrias de processamento, bem como reduzir os custos de transação dos produtos agrícolas.

Para complementar as acções desenvolvidas pelos produtores e intervenientes na comercialização, o Executivo continuará a adoptar reformas e a implementar medidas para dinamizar o processo.

A garantia foi dada, no distrito de Chongoene, província de Gaza, pelo Primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário, nas cerimónias centrais de lançamento da Campanha de Comercialização Agrícola 2021.

A par destas acções, o Governo irá alargar a experiência dos leilões, bem como publicitar a nova plataforma electrónica de intermediação agrícola.

Para o efeito, continuará a reforçar a intervenção do Instituto de Cereais e a Bolsa de Mercadorias de Moçambique, através da linha especial de financiamento, denominado Fundo Rotativo da Comercialização Agrícola.

Segundo Carlos Agostinho do Rosário, o fundo rotativo é disponibilizado através de instituições bancárias e está a permitir aos produtores e intervenientes da comercialização agrícola acesso ao financiamento em condições favoráveis.

De acordo com o governante, para garantir melhor rotatividade a fim de que mais intervenientes beneficiem do Fundo Rotativo, é necessário que todos os montantes concedidos sejam devolvidos no fim de cada ciclo de produção e comercialização.

“Com a realização do III Fórum Nacional da Comercialização Agrícola, esperamos que o Governo e os diversos intervenientes na cadeia de valor agrícola busquem soluções, com vista a dinamizar, cada vez mais, a comercialização e o agro-processamento”, disse.

Ainda ontem, o Governo reconheceu os produtores e comerciantes que mais se destacaram no processo de comercialização da campanha passada, com a entrega de cheques para o financiamento da actividade.

Para a presente campanha de comercialização agrícola, a meta é comercializar cerca de 16 milhões de toneladas de produtos diversos, o que representa um crescimento de 9,3 por cento, quando comparado com o período anterior.

(AIM)

Noticias/JSA