O governo moçambicano decidiu banir a importação de aves vivas, domésticas e selvagens, carnes de aves, plumas e penas, ovos férteis e de consumo provenientes da África do Sul devido a eclosão de um surto de Influenza Aviaria Altamente Patogénica (HPAI, sigla em inglês) naquele país vizinho

O banimento inclui outros produtos avícolas para o uso na alimentação animal, para fins agrícolas ou industriais.

Um comunicado do Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural (MADER) enviado hoje à AIM refere que a proibição não abrange carnes tratadas por calor, com intensidade suficiente para inactivar o vírus da influenza aviária.

“As medidas anunciadas neste comunicado entram imediatamente em vigor, podendo serem revistas em função da evolução da situação sanitária”, lê-se na nota.

Anunciado terça-feira última pelas autoridades veterinárias sul-africanas, a Influenza Aviária eclodiu na província de Gauteng, África do Sul, tendo imediatamente causado a morte de cerca de 300 aves numa granja comercial de poedeiras em Ekurhuleni, a leste de Joanesburgo.

As amostras da granja testaram positivo para a estirpe H5, o que resultou na destruição de todas as aves da granja e a propriedade colocada em quarentena, enquanto as autoridades veterinárias investigam a extensão do surto.

A mesma granja também foi afectada pelo surto de 2017, da estirpe H5N8 altamente patogénica da gripe aviária, que obrigou os criadores a abaterem milhões de aves e levou países vizinhos, incluindo Moçambique, Zimbabwe, Namíbia e Botswana a proibir a importação de aves e derivados da África do Sul.

Na altura, as autoridades moçambicanas garantiram que a gripe aviária que eclodira na província sul-africana do Cabo Oriental não representava nenhum risco de propagação da doença para o território moçambicano.

Dados de 2017, apontam que os produtores nacionais de frango são responsáveis por uma quota de mercado calculada em pouco mais de 70 mil toneladas anuais, das 80 mil que o país precisa.

Aliás, a estirpe H5N8 da gripe aviária é altamente patogénica entre as aves, mas apresenta poucos riscos à saúde humana.