Governador Julio Parruque

O governador da provincia de Maputo, Júlio Parruque considera que as incursões armadas protagonizadas pelos terroristas em Cabo Delgado e pela Junta Militar da Renamo no Centro do país impedem impedem o livre exercício da liberdade de expressão e de exercício da actividade do jornalista , em Moçambique.

Numa mensagem que endereçou à Comunicacao Social por ocasião do Dia do Jornalista Moçambicano, Parruque apontou também a pandemia da COVI-19 como outro desafio que a classe jornalística enfrenta na sua actividade.

Por isso, Parruque afirma que, este ano, o Dia do Jornalista é celebrado num momento particularmente difícil para os profissionais da Comunicação Social.

“Apesar dos desafios que se colocam, o jornalista moçambicano deve continuar a exercer a sua profissão com firmeza e determinação de colocar ao corrente dos cidadãos informações relevantes da vida do País, nos diversos domínios, pautando pelo princípios de isenção, rigor e contraditório referidos no respectivo Código de Ética e Deontologia”, recomenda o governador, citado num comunicado de imprensa do seu Gabinete.

Reconhece as condições ainda aquém do desejo em que trabalham os jornalistas, mas sublinha que tal facto não os deve desanimar, na nobre missão de informar, educar e socializar.

“Aos profissionais da Comunicação Social na Província de Maputo, Parruque expressa gratidão, por manter a população informada sobre as realizações do Conselho Executivo Provincial, e encoraja-os a se manterem firmes no exercício da sua missão, ante os constrangimentos de vária ordem