A chegada de mais um Navio, transportando cerca de 1.000 deslocados da Vila de Pemba no Porto de Pemba, na provincia nortenha moçambiana de Cabo Delgado foi marcada por um misto de lagrimas de alegria e de tristeza.

Com a viagem, que durou três dias, centenas de pessoas deixam para trás não apenas as suas residências, mas também familiares que, por conta do pânico, fugiram para locais desconhecidos.

“Deixei o meu irmão para trás, em Afungi. Não sei se conseguiu fugir”, disse inconsolável uma das resgatadas.

Outra deslocada de Palma conta que “morreu muita gente, mesmo na praia. Os Al Shabab chegaram e começaram a chamar as pessoas. Algumas fugiram e outras foram com eles”.

Na cidade de Pemba foi criado um centro transitório para acolher perto de duas centenas de deslocados dos ataques terroristas que não têm teto para dormir na capital da província de Cabo Delgado. Convergiram no local sentimentos de alegria e tristeza por parte daqueles que foram procurar seus familiares.

Em pequenos grupos, as famílias dirigiam-se ao Pavilhão Desportivo de Pemba para onde foram levadas pelo menos 200 pessoas que fugiram dos ataques em Palma, mas não localizaram família ou pessoas conhecidas ainda no porto de Pemba.

(AIM)

O Pais/JSA