O Comando Provincial da Polícia da República de Moçambique (PRM), em Maputo, e a Polícia Regional de Lubombo, do Reino da Swâzilandia (Eswatini) pretendem aprimorar as estratégias de protecção das fronteiras entre os dois países. A iniciativa visa mitigar os crimes de violação de fronteiras, tráfico de drogas e roubo de gado bovino.

Para o efeito, as duas partes mantiveram, Sexta-feira (19) em Maputo, um encontro bilateral para troca de experiências sobre acções desenvolvidas para a protecção de fronteiras em cada província, com vista a chegar a um consenso sobre formas de prevenir os crimes transfronteiriços.

O Reino de Eswatini e Moçambique possuem dois postos de travessias, o de Namaacha e o de Goba, entretanto algumas pessoas preferem cruzar os limites pelas fronteiras não oficiais.

Comandante provincial da PRM, em Maputo, Inácio Dina afirmou que a ocorrência de violação dos limites continua preocupante, uma vez que facilita a fuga ao fisco e afecta a economia e os valores sociais da população, sobretudo quando se trata do roubo de gado.

Reconheceu que, há vezes que a Polícia de Guarda Fronteira é corrompida pelos criminosos, facilitando a ocorrência de infracções, uma situação condenável.

Por sua vez, o adjunto comissário da Polícia Regional de Lubombo, no Reino de Eswatini, Charles Magagula, indicou que alguns indivíduos cometem crimes em Moçambique e se refugiam em Eswatini, podendo acontecer o inverso.

“É nossa missão deter estes criminosos para garantir a segurança dos cidadãos dos dois países”, disse Magagula.

A reunião contou ainda com a presença de técnicos da Autoridade Tributária de Moçambique.

(AIM)

JN/JSA