Num contexto em que o país confronta-se com ataques terroristas na província nortenha moçambicana de Cabo Delgado, o Presidente da República, Filipe Nyusi exige que os novos quadros da Polícia não sejam apenas para aumentar o número de efectivo, mas emprestar conhecimento científico adquirido durante a formação para resolver problemas do país.

“Os oficiais da Academia de Ciências Policiais (ACIPOL) devem ser capazes de emprestar ciência no esclarecimento de crimes como o terrorismo”, disse Filipe Nyusi. O comandante em Chefe das Forças de Defesa e Segurança ajuntou que espera dos graduados empenho e respeito aos colegas mais antigos na profissão.

“A partir de hoje vão se juntar a outras gerações de profissionais da Polícia da República de Moçambique, do Serviço Nacional de Migração,  Serviço Nacional de Investigação Criminal, no geral no complexo grupo de actores do Sistema Nacional de Justiça e Forças de Defesa e Segurança. São pessoas de diferentes idades, diferentes experiências, com sofrimento, mas com sucesso em batalhas. Vão se juntar a esses e vão transmitir o que aprenderam. Mas sobretudo vão aprender aquilo que eles sabem”, orientou Nyusi.

O Presidente da República falava hoje, na Academia de Ciências Policiais (ACIPOL), no distrito de Marracuene, província de Maputo, onde dirigiu a cerimónia de graduação dos cursos de mestrado e de licenciatura em Ciências Policiais.

Trata-se de quadros que saem da ACIPOL com preparação específica em quatro perfis, nomeadamente, Segurança Pública, Investigação Criminal, Migração e Fronteiras e Administração.

(AIM)

JSA