O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, nomeou Joaquim Rivas Mangrasse para o cargo de chefe do Estado Maior General das Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM), informou a Presidência em comunicado.

Joaquim Rivas Mangrasse, que também foi promovido a almirante, sucede no cargo a Eugénio Mussa, que morreu vítima de doença em Fevereiro, três semanas após a sua nomeação para função.

Até à data da sua nomeação, Joaquim Rivas Mangrasse era chefe da Casa Militar da Presidência da República desde 2015.

Além da nomeação de um novo chefe do Estado-Maior General, Filipe Nyusi realizou alterações na estrutura das Forças Armadas de Defesa, com destaque para as indicações de Cristóvão Artur Chume para o cargo de comandante do ramo do Exército e Cândido José Tirano para comandante do ramo da Força Aérea.

As alterações na estrutura orgânica das Forças Armadas ocorrem num momento em que o exército se desdobra em operações para travar grupos armados que têm protagonizado ataques, desde 2017, em distritos mais a norte da província de Cabo Delgado.

A violência armada em Cabo Delgado, onde se desenvolve o maior investimento multinacional privado de África, para a exploração de gás natural, está a provocar uma crise humanitária com mais de duas mil mortes e 670 mil pessoas deslocadas, sem habitação, nem alimentos.

(AIM)

GIPR/JSA