A vacinação do Ministro moçambicano da Saúde, Armindo Tiago, marcou hoje o arranque, da campanha de vacinação contra a COVID-19 aos profissionais de saúde, em todo o País.

Na capital Maputo, a cerimónia foi lançada com a vacinação de Armindo Tiago, médico especialista em endocrinologia, que assumiu ter escolhido ser o primeiro para dar o exemplo e demonstrar a “seriedade do Governo moçambicano”.

Tiago, que é ministro da saúde, recebeu a primeira dose por volta das 08 horas da manhã, como símbolo do primeiro profissional de saúde vacinado e, momentos depois, foi repousar por cerca de 15 minutos, enquanto aguardava por possíveis reacções adversas.

“Sinto-me bem. Nada mau”, expressou o ministro depois de terem passado mais de 15 minutos, tendo reiterado que “a vacina é segura” e, por isso, encoraja aos demais profissionais a tomarem as doses.

No evento, foram também vacinados idosos, camada social que também será abrangida nesta primeira fase de vacinação e coveiros, por serem profissionais que lidam com os processos de sepultamento, nos cemitérios.

Doadas pela China, as 200 mil doses da vacina Verocell vão abranger cerca de 70 mil profissionais de saúde, em todo país.

Em entrevista ao “O País”, o embaixador da China assegurou que Moçambique poderá receber mais doações, dessa natureza.

A vacina Verocell, da farmacêutica Sinopharm, tem uma eficácia de 79.3% para evitar doença sintomática e 100% para evitar doença grave. Ela será administrada em duas doses, num espaço de 21 dias. Sua validade é de dois anos.

(AIM)

O Pais/JSA