O Chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi, participa na manhã de sábado nas exéquias de Daviz Simango, Presidente do Conselho Autárquico da Cidade da Beira, e Membro do Conselho do Estado, um evento que terá lugar no Paços do Município da Beira, capital da província central de Sofala.

Os restos mortais de Simango chegaram na noite de quinta-feira, no Aeroporto Internacional da Beira, província central de Sofala, onde foram recebidos por centenas de simpatizantes

O governo moçambicano determinou a realização de um funeral oficial para Daviz Simango, que também é Presidente do Partido Movimento Democrático de Moçambique (MDM), o segundo maior partido da oposição no país.

O edil da Beira foi vítima de doença, segunda-feira, numa clínica da vizinha África do Sul.

A decisão para a realização de um funeral oficial foi tomada durante a 6ª Sessão Ordinária do Conselho de Ministros realizada terça-feira, em Maputo.

Simango, que morreu aos 57 anos de idade, foi evacuado a 13 de Fevereiro por via aérea para uma unidade de saúde da África do Sul devido a um problema de saúde súbito, segundo foi anunciado, na ocasião, por fontes familiares.

Daviz Simango nasceu em 07 de Fevereiro de 1964 e é filho de Urias Simango, o primeiro vice-presidente da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO).

Antigo membro do Partido de Convenção Nacional (PCN), Simango juntou-se à Renamo em 1997, formação pela qual viria a tornar-se, pela primeira vez, edil da cidade Beira em 2003.

A 6 de Março de 2009, fundou um novo partido, o Movimento Democrático de Moçambique. No mesmo ano, concorreu e venceu as eleições autárquicas como candidato independente, voltando a assumir os destinos da cidade da Beira.

Em 2013 e 2018, Simango concorreu à sua própria sucessão na presidência do município, tendo também saído vitorioso.

Em 2009, 2014 e 2018, concorreu para a presidência da República, tendo ficado, em todas estas ocasiões, em terceiro lugar.

Até à sua morte, Daviz Simango era membro do Conselho de Estado.
(AIM)
Sg