Pelo menos 67 jogadores que militam nas 14 equipas que participam do campeonato nacional de futebol de Moçambique, o “Moçambola”, testaram positivo para o novo coronavírus, de um total de 548  submetidos aos testes, durante a semana finda.

 O número de infectados representa uma taxa de positividade de 12,3 por cento, contra a média actual no país, estimada em 10 por cento, facto considerado preocupante.

 A informação foi partilhada hoje, em Maputo, pela porta-voz do Conselho de Ministro, Ludovina Bernardo, no final da V Sessão Ordinária daquele órgão de soberania.

Entre as várias matérias, segundo a fonte, o Conselho de Ministros apreciou o Balanço e Perspectivas de aplicação das medidas de prevenção do novo coronavírus.

“Os dados que temos registado nos últimos tempos, tanto em relação ao número de infectados ao nível do mundo, bem como ao nível de África e, de modo particular em Moçambique, têm nos preocupado bastante, isto em relação aos casos positivos e ao número dos óbitos que têm ocorrido”, descreveu a porta-voz.

Nesta análise, segundo a fonte, particular atenção foi o facto de o Ministério da Saúde (MISAU) ter feito testagem específica para os jogadores que alinham nos clubes do Moçambola, “cujos resultados são preocupantes”.

“Por isso, existe uma grande necessidade de os cubes, regularmente, submeterem os seus jogadores a testagem por coronavírus com vista a cumprir aquilo que são os compromissos assumidos tanto em relação a Liga Moçambicana de Futebol (LMF), bem como a Federação Moçambicana de Futebol (FMF)”, afirmou.

Face a estes resultados, o Conselho de Ministros determinou que os clubes com uma taxa de positividade inferior a 10 por cento podem treinar, acautelando a exclusão de todos os jogadores que testarem positivo.

Disse que a medida irá permitir que continuem a se prepararem para o cumprimento dos respectivos compromissos.

“Foi também decidido que será feita uma próxima testagem no dia 26 de Fevereiro a fim de aferir o nível da testagem e o nível da positividade, não só dos jogadores que testaram positivo nesta fase, como também dos jogadores que até ao momento apresentam uma situação de saúde favorável acrescentou.

Face a esta realidade, a fonte renovou o apelo para a observância das medidas de prevenção da COVID-19 anunciadas pelo governo e pelo MISAU em particular, “de modo a que possamos achatar a curva ao nível do país em relação aos casos de contaminação, bem como o número de óbitos que têm sido apresentados em sede da comunicação social”.

Por outro lado, destacou a necessidade do cumprimento escrupuloso das medidas decretadas, recentemente, pelo Presidente da República, no âmbito da mitigação dos efeitos do coronavírus.

Devido ao agravamento da situação da pandemia, o governo decidiu suspender por 30 dias, o Moçambola, principal prova de futebol no país.

 As equipas apenas disputaram quatro jornadas, e a sua retoma dependerá da evolução da situação da COVID-19.

(AIM)

DT/sg